Santiago – Beleza e encantamento aos pés da cordilheira


Chega a ser impressionante a quantidade de pessoas que me perguntam o que me faz viajar tanto para o Chile. A viagem mais recente, realizada em fevereiro de 2016 foi nada menos que a 24ª visita ao território vizinho cercado pela cadeia montanhosa da Cordilheira dos Andes. A resposta é muito simples e direta; É que qualquer lugar que tenha uma beleza descomunal e que vale a pena uma visita me interessa e me sinto obrigado a inclui-los em meus roteiros de viagem. E no Chile lugares incríveis não faltam, incluindo a principal porta de entrada do país: A capital Santiago.

Moderna e charmosa, a metrópole de mais de 6 milhões de habitantes é um dos principais destinos turísticos da América do Sul e também do mundo. Não é raro encontrar nos inúmeros hotéis da cidade turistas de diversas partes do globo, atraídos por seus difundidos cartões-postais, consagrada receptividade e hospitalidade, além é claro da sua saborosa gastronomia. Apesar de ser uma cidade de grande porte e bastante movimentada em alguns pontos, Santiago ainda preserva em alguns de seus bairros a boemia e tranquilidade de tempos passados. É possível conhecer edifícios históricos, visitar museus e parques com uma bela visão panorâmica, passear por vinícolas e experimentar vinhos saborosos e refinados, desfrutar de boas refeições e, em época de inverno, ver a neve de perto pela primeira vez, e é claro, esquiar.


Pontos Turísticos

* Palácio La Moneda

Este é sem dúvida o ponto turístico que mais identifica Santiago perante o mundo. O palácio que recebeu esse nome por já ter sediado a casa da moeda chilena por vários anos e, atualmente é sede do governo impressiona pela imponência e riqueza de detalhes de sua arquitetura. O edifício também foi marco do golpe militar de 1973, capitaneado pelo general Augusto Pinochet. Uma das principais atrações que ocorrem no palácio é a cerimônia da troca de guarda, que ocorre em dias alternados, sempre na parte da manhã. Para saber mais detalhes da cerimônia, acesse este post. É possível também, por meio do site do governo chileno, agendar previamente visitas guiadas gratuitas pelo interior do prédio.

 

 

 

* Plaza de Armas

Não é de hoje que a Plaza de Armas, essa agitada área central que já foi conhecida também como Plaza Mayor, serve como o centro cívico da cidade. O local, considerado marco zero do país, abriga os principais símbolos arquitetônicos da era colonial, como o edifício dos Correios, a prefeitura e a belíssima Catedral Metropolitana. Da praça, não deixe de caminhar pelo Paseo Ahumada, calçadão com alguns restaurantes e os curiosos e tradicionais cafés con piernas, cafeterias com atendentes de saias incrivelmente curtas.

 

 

 

 

 

* Cerro San Cristóbal e Parque Metropolitano

Um dos pontos onde é possível apreciar Santiago do alto, o Cerro San Cristóbal é um passeio imperdível pois é um dos pontos mais altos e bonitos da cidade. De cima do local – se o clima e a poluição ajudarem – é possível admirar os edifícios, a geografia de Santiago e os Andes. No parque onde está o cerro San Cristóbal funcionam piscinas públicas e jardins botânicos e a subida até o alto do cerro pode ser feita no funicular, um charmoso bondinho de madeira e tracionado por cabos de aço, deixando o passeio ainda mais divertido. No local também se localiza o Santuário da Imaculada Conceição, padroeira da cidade. Para saber mais sobre o passeio ao local, acesse este post.

 

 

 

* Mercado Central

Peixes, frutos do mar, legumes, frutas, verduras, artesanato e bons e movimentados restaurantes – o Mercado Central de Santiago tem tudo isso e muito mais! O local é muito visitado pelos turistas, principalmente porque comer a centolla, o famoso caranguejo gigante, é um programa bastante tradicional nesse lugar. Os preços dos restaurantes não são muito convidativos e o ambiente não agrada a todos, mas ainda sim vale uma visita ao local.

 

 

 

 

 

 

 

* Vinícola Concha y Toro

Melhor que saborear os deliciosos e famosos vinhos chilenos é visitar o local onde eles são produzidos. Um dos passeios que não costuma faltar no roteiro dos brasileiros é para as vinícolas próximas de Santiago. A Concha y Toro é famosíssima entre os turistas e oferece uma visita guiada que mostra as etapas de produção do vinho, além de degustação de vinhos ao final do passeio. Os passeios podem ser organizados por conta própria ou por meio de agências locais.

 

 

 

 

 

 

 

* Sky Costanera

Outro ponto de onde é possível admirar toda a beleza de Santiago é o Sky Costanera, o arranha-céu mais alto da América do Sul. Com 62 andares e 300m de altura, foi inaugurado em agosto de 2015. Construído nas dependências do Shopping Costanera Center, no elegante e badalado bairro da Providencia, seus dois últimos andares abrigam um mirante, o mais alto da América Latina e que é a mais nova atração turística de Santiago, permitindo aos visitantes uma visão 360º privilegiadíssima dos quatro cantos da cidade e também da Cordilheira dos Andes. Esse mirante é aberto à visitação todos os dias. Mais informações nesse post.

 

 

 

* Cerro Santa Lucia

Localizado em um ponto da movimentada Avenida Libertador Bernardo O’Higgins está o Cerro Santa Lucia, um verdadeiro refúgio verde de paz e tranquilidade bem no coração de Santiago. O parque, que tem chafarizes, monumentos e jardins, é ideal para caminhar e subir até o topo, aproveitando a fantástica vista da Cordilheira nos dias limpos. A subida, se feita rapidamente, pode ser cansativa; mas a parte superior do local é muito bonita, agradável para sentar e descansar, e interessante porque oferece uma vista panorâmica da capital. O acesso ao local é gratuito.

 

 

 

 

* Parque O’Higgins

É a maior área verde de Santiago e um importante ponto de encontro para a capital desde a sua construção em 1873. Seus 74 hectares de área total, que dispõe de uma área de piquenique, piscinas, uma lagoa, um skate park, além de um parque de diversões. Dentro do parque, em uma região chamada Pueblito, há um conjunto de aquários com mais de cem espécies e diversos museus como o de Insetos e Caracolas e o del Huaso (termo utilizado no Chile para referir-se às pessoas que moram em zonas rurais). Lá também são realizados grandes eventos e festivais de música como o Lollapalooza, realizada desde 2011 no espaço.

 

 

 

 

* Parque Bicentenário

O Parque Bicentenário não é muito grande, mas tem gramados bem cuidados, lago com cisnes e árvores espaçadas. Um bom lugar para se fazer uma caminhada, andar de bicicleta e até mesmo fazer um piquenique. Fica em frente ao centro cívico de Vitacura, onde está a prefeitura. Tem uma ampla área de lazer para as crianças e às vezes sedia concertos ao ar livre.

Em março de 2010, ano em que o país comemorou 200 anos de independência, o parque ganhou um jardim aromático cheio de rosas, lavandas e alecrim e mesas de xadrez adaptadas para cegos (com tabuleiros em alto-relevo). Como fica em Vitacura, não poderia deixar de ter um restaurante da moda: o Mestizo.

 

 

 

* Centro Cultural La Moneda

Após uma visita ao Palácio La Moneda, uma boa pedida é visitar o seu centro cultural, que se localiza no subsolo do edifício. O local abriga mostras de arte e cinema, uma filial do Torres (o café mais antigo da cidade) e uma loja da Fundación de Artesanías de Chile, onde você encontra lembrancinhas para amigos e parentes que deixou em casa. A loja abriga um mapa gigantesco do Chile, em volta do qual se caminha para ler as plaquinhas cravadas nos povoados: cestaria, tecelagem e cerâmica, sinalizando o tipo de artesanato que é produzido em cada lugar. Os artigos são bonitos, bem feitos e têm bons preços. O funcionamento é de segunda-feira a domingo, sempre das 9:00hs às 21:00hs.

 

 

 

* La Chascona

A famosa casa de Pablo Neruda, que hoje funciona como museu, fica próxima ao Cerro San Cristóbal e passa desapercebida aos olhos de muitos turistas, mas se você se interessa por poesias, artes, ou mesmo arquitetura, a visita é obrigatória. A casa transmite um pouco da essência de seu morador, ela é cheia de objetos usados pelo artista e tem uma decoração e arquitetura únicas.

 

 

 

 

 

 

 

* Museu Nacional de Belas Artes

Para os amantes das artes, conhecer esse museu é uma excelente opção. Ele tem mais de 5 mil peças em sua exposição permanente, que contam a história da arte chilena e estrangeira em períodos diferentes. A edificação foi construída em 1910 em comemoração ao Centenário da Independência do Chile. De arquitetura neoclássica, mas fortemente reforçado com detalhes em Art Nouveau e em estruturas de metal, o museu possui um grande hall de entrada encoberto por uma cúpula de vidro. Há ainda espaço para exposições temporárias e temáticas. Seus jardins originais acabaram se transformando no Parque Florestal.

 

 

 

 

Passeios

 

É possível esticar um pouco o passeio para além dos limites de Santiago e conhecer outros lugares incríveis e com acesso relativamente fácil. Confira:

 

* Valparaiso

A cidade portuária de Valparaíso, também chamada carinhosamente de “Valpo”, é uma das maiores cidades do Chile e atualmente sedia o poder legislativo do país. A cidade tem muitos morros e também muitas casas coloridas charmosas e chamativas, que ficam em áreas inclinadas e oferecem uma bela vista para o mar. Valparaíso se destaca pela história e pelo seu importante porto.

 

 

 

 

 

 

 

* Viña Del Mar

Imediatamente vizinha à Valparaiso, Viña Del Mar é o refúgio de muitos chilenos, e principalmente santiaguinos, quando as temperaturas estão elevadas. Banhada pelo Oceano Pacífico, a cidade tem praias (infelizmente de águas geladas), bons restaurantes, bares e cassinos. Para quem fica vários dias em Santiago, pode valer a pena passar uma noite na cidade e curtir o clima alegre da orla. Há sempre algum brasileiro fazendo a típica foto de “coloquei o pé no Pacífico”. Não dá para deixar de ver também o moai na entrada do museu Fonck, um dos poucos originais fora da Ilha de Páscoa.

 

 

 

 

 

 

 

Onde comer e fazer compras

 

Não faltam boas opções para fazer refeições e compras em Santiago. Em grande parte delas é possível fazer as duas coisas ao mesmo tempo:

 

* Patio Bellavista

O Pátio Bellavista é um quarteirão inteiro onde é impossível não encontrar boas opções de restaurantes e lojinhas de artesanato e souvenirs. Além de estar em um bairro muito visitado e bohêmio, o bairro Bellavista, tem opções para quem quer comer, para quem quer só tomar uma bebida e para quem busca lojas de bugigangas típicas do país. Todas as quartas-feiras tem música ao vivo livre entre as 20h e 21h.

 

 

 

 

 

 

 

* Restaurante Giratório

Um dos restaurantes mais famosos de Santiago é o Giratório. O nome já diz bastante sobre o lugar. Isso mesmo!!! Do local é possível admirar a vista da cidade enquanto o restaurante faz um giro de 360 graus. É um restaurante caro pela quantidade e qualidade dos pratos, mas vale uma visita ao local, pelo menos para conhece-lo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

* Paseo San Agustín

Um dos principais centros comerciais de Santiago, localizado entre os quarteirões das Calles Moneda, San Antonio, Agustinas e Estado, o Paseo San Agustín pode ser considerado sem nenhum exagero, uma “Feira Shop” chilena. No local é possível encontrar de tudo, desde bazares de roupas, calçados, relógio, perfumes e aparelhos eletrônicos. O local ainda conta com uma casa de câmbio e alguns restaurantes e lanchonetes.

 

 

 

 

 

 

* Shopping Parque Arauco

O Parque Arauco é um dos mais famosos e badalados shoppings de Santiago. Possui diversas lojas e é excelente para fazer compras, principalmente em épocas de promoção, como os meses de troca de coleção (janeiro e agosto.) O shopping conta com uma área externa onde há bons restaurantes e as conhecidas lojas de departamento chilenas Falabella, Paris e Ripley, além de lojas de grifes famosas como Adidas, Topshop, Nikon, Desigual, Diesel, Forever 21, Freddo, Guess, Havana etc.

 

 

 

 

 

 

 

 

* Costanera Mall

O Costanera Mall se localiza no bairro da Providência e desde sua inauguração se tornou um dos melhores shoppings de Santiago para fazer compras. São seis pavimentos e em cada um deles há lojas destinadas a um determinado público – no segundo andar o foco são lojas destinadas ao público feminino no terceiro andar há lojas para homens e crianças. As três grandes redes se destacam no local: as lojas da Falabella, Ripley e Paris estão em todos os andares, acompanhando o tipo de produto. Há inclusive uma mega filial da rede de hipermercados chilena Jumbo no 1º piso.

 

 

 

 

 

* Paseo Ahumada

Não são apenas os shoppings que têm lojas boas para compras, as ruas de Santiago são ótimas para fazer encontrar artigos por bons preços. No Paseo Ahumada, uma das principais vias de comércio na área central de Santiago, é que encontra-se as principais lojas de departamento do Chile, grandes lojas de eletrônicos, lojas de esportes e outros. Muitas com preços excelentes, as vezes até mais baratos que no Brasil.

 

 

 

 

 

 

 

Outras informações importantes

 

* Idioma

O idioma falado no local é o Espanhol com sotaque latino.

 

 

 

 

 

 

* Moeda e câmbio

A moeda de circulação em Santiago e em todo o Chile é o Peso Chileno, que tem cotação muito inferior ao Real. É raro encontrar essa moeda nas casas de câmbio no Brasil e quando se encontra a cotação não é vantajosa. Por isso minha dica é levar os reais ou dólares e troca-los em casas de câmbio na cidade. As que oferecem as melhores cotações estão ao longo da Calle Agustinas.

Em Santiago é extremamente raro encontrar cambistas nas ruas, como ocorre em Buenos Aires. Mesmo assim evite fazer câmbio nas ruas caso encontre algum.

 

 

 

 

 

* Transporte

O carro-chefe do sistema de transporte público de Santiago é o Metrô, considerado o maior da América Latina, com mais de 100 km de extensão. Há estações próximas em praticamente todos os pontos de interesse da Cidade e onde não há, pode-se complementar o trajeto utilizando os ônibus da TranSantiago. Para utilizar o metrô basta adquirir um bilhete unitário nas “boleterias” das estações ou adquirir um cartão eletrônico chamado Bip!. Já nos ônibus, a única forma de pagamento aceita é o cartão Bip!. Em Santiago o metrô e o ônibus são integrados, portanto o preço da tarifa é o mesmo nos dois modais. Para saber mais como usar o metrô na cidade, acesse este post. Já para obter informações sobre os ônibus, consulte o site da TranSantiago.

Opção menos econômica é também utilizar os táxis, que assim como em Buenos Aires, são facilmente identificados pela cor: São pretos com o teto na cor amarela e operam pelo sistema de taxímetro. Se for tomar um táxi em Santiago, redobre a atenção com motoristas picaretas e desonestos: Diga o endereço que você quer ir de forma objetiva e sem dar pontos de referência evasivos e evite pagar a corrida com notas de alto valor. Se possível utilize aplicativos de celular como Easytaxi, por exemplo.

 

* Aeroporto e opções de transfer

Santiago é servida por um único aeroporto; O Aeroporto Internacional Comodoro Arturo Marino Benítez, que fica a cerca de 20 km da região central da cidade. De lá chegam e partem voos nacionais e internacionais para outras províncias chilenas e para vários países. Para o Brasil, os voos chegam e partem dos Aeroportos de Guarulhos, em São Paulo e do Galeão, no Rio de Janeiro.

Há várias opções de transfer para se deslocar entre a cidade e o terminal. Carro alugado, táxis e empresas especializadas em transfer. Porém a opção mais econômica são os ônibus de duas empresas: A Turbus e a Centropuerto. Ambas têm vários horários e fazem o trajeto em cerca de 40 minutos e oferecem descontos para a compra das passagens de ida e volta antecipadamente. O ônibus da Turbus realiza paradas no terminal Alameda nas estações do metrô Las Rejas, Pajaritos e Universidad de Santiago (informações e horários no site).

Já os veículos da Centropuerto fazem paradas nas estações do metrô Los Heroes. Barrancas, Las Rejas, Pajaritos, Universidad de Santiago, Estación Central e Unión Latinoamericana (informações e horários no site).

 

* Documentação

Não é necessário visto para entrar no Chile, desde que a viagem seja a turismo e por no máximo 90 dias. Os documentos necessários para a viagem são passaporte válido ou carteira de identidade (RG) em bom estado de conservação e CNH (apenas se você for alugar um veículo).

 

 

 

 

 

 

 

Essas foram apenas algumas dicas. Santiago e o Chile como um todo são infinitamente mais do que isso, mas com essas informações você já pode arrumar as malas e ir para lá descobrir o restante. Certamente você não se arrependerá.


sm-johnny