Paquetá – Uma ilha carioca que é sinônimo de paz e segurança


Infelizmente no Brasil, devido à violência e a insegurança nos dias de hoje, é quase impossível pensar em um local que tenha apelo turístico e que ao mesmo tempo ofereça segurança e tranquilidade para as pessoas curtirem seu raro momento de folga sem nenhum tipo de preocupação.

Pois por incrível que possa parecer, este lugar existe. Localizada na parte nordeste da Baía de Guanabara, a Ilha de Paquetá é sem dúvida nenhuma um pedaço de terra onde reina a paz e tranquilidade, sendo um ótimo local para passeio com a família. O arquipélago encontra-se próximo à reserva ambiental de Guapimirim, área de conservação de manguezais, fonte de vida marinha. Essa proximidade, aliada ao fato de que o arquipélago se encontra em uma área da baía com grande profundidade, no seu canal principal, faz com que as águas das praias de Paquetá, ricas em peixes, sejam constantemente renovadas.

Vista de um dos mirantes da ilha

Originalmente, a ilha era recoberta pela Mata Atlântica, porém com a colonização europeia ao longo dos séculos, foram sendo introduzidas espécies exógenas, particularmente árvores frutíferas, palmeiras e flamboyants, destacando-se um exemplar de baobá carinhosamente apelidado pela população de “Maria Gorda”. De origem africana, é uma arvore com centenas de anos e medindo mais de sete metros de circunferência. Essa vegetação oferece suporte a uma variedade de espécies de aves silvestres, marinhas e migratórias.

A ilha é um mix de cidadezinha do interior com destino turístico, pois possui belas e calmas praias, aliadas às casas de muro baixo, algumas com frágeis janelas e portas de madeira, nada de cerca elétrica ou câmeras de vigilância… Tanta segurança que não é incomum você transitar pelas ruas da ilha durante a madrugada e ver casas com as janelas escancaradas e as pessoas dormindo tranquilamente. Sinceramente, nem parece Brasil, como diria um amigo meu que também já visitou o local.

 

 

Considerado um bairro da cidade do Rio de Janeiro, Paquetá tem toda a infraestrutura que encontramos em um bairro comum, como água, luz, telefonia móvel e celular, internet, TV a cabo, escola, posto de saúde, comércios, igrejas e até um cemitério. Suas ruas não possuem asfalto, apenas saibro em alguns pontos e calçamento em outros e não há como utilizar outro meio de transporte para se locomover pela ilha a não ser de charrete ou então de bicicleta. Há várias delas, a maioria elétricas, trafegando pela ilha, algumas inclusive são utilizadas como “táxi”, onde por cerca de apenas R$ 5,00 você embarca em uma bicicleta tipo triciclo, que foi adaptada para este tipo de transporte, e se locomove a qualquer ponto da ilha. Há também opção de aluguel de vários modelos adaptados e tradicionais, por valores módicos. Os únicos veículos automotores que são autorizados a trafegar no local são os veículos de serviço público, como coleta de lixo, policia, bombeiros, saneamento e energia elétrica, etc.

Arvore apelidada pelos moradores da ilha de "Maria Gorda"
Arvore apelidada pelos moradores da ilha de “Maria Gorda”

Paquetá possui ao todo 12 praias, distribuídas ao longo de sua extensão, sendo que as mais famosas são a da moreninha e a de José Bonifácio. Por falar em José Bonifácio, a ilha tem como um de seus principais atrativos a casa que serviu de refúgio para o patriarca da independência do Brasil de 1829 a 1831, antes de ele ser tutor dos filhos de D. Pedro I e que foi tombada como bem federal em 1938.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passeios de charrete são uma das atrações da ilha
Passeios de charrete são uma das atrações da ilha

Casa que abrigou José Bonifácio hoje é propriedade particular
Casa que abrigou José Bonifácio hoje é propriedade particular

 

Alguns outros pontos de interesse de Paquetá são:

 

Parque Ecológico Darke de Mattos
Entrada do Parque Darke de Mattos

Com árvores centenárias, jardins, trilhas e mirantes. O Parque dispõe ainda de brinquedos infantis, anfiteatros ao ar livre e heliponto, que permite suporte a atendimentos hospitalares que exijam remoção para hospitais. O parque também abriga dos principais mirantes da ilha, o Morro da Cruz, com vista panorâmica da Baía de Guanabara.

 

 

 

 

 

 

Mirante Morro da Cruz, no Parque Darke de Mattos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus do Monte

 

A igreja matriz da paróquia de Paquetá. A construção original data de 1763, sendo a última grande reforma por volta de 1900, que preservou seu interior em estilo neogótico.

 

 

 

 

 

 

 

 

Cais do farol

 

Coreto da praça São Roque

 

 

Típico de pequenas cidades e vilas, onde são realizados eventos cívicos. Usado também nas festas de São Roque e São João, que acontecem tradicionalmente na praça.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pedra dos namorados

 

Localizada ao lado da ponte da saudade, entre as praias da moreninha e José Bonifácio. Diz uma romântica lenda que atirando três pedrinhas de costas, em direção ao topo da pedra, se ao menos uma não cair lá de cima, fica junto com ela a certeza de um amor que será correspondido e eterno.

 

 

 

 

 

Canhão de Saudação a D. João VI

 

Fazia parte de uma bateria de canhões usada para saudar a chegada de D. João VI ao bairro a partir de 1808, quando o Príncipe Regente, que depois se tornou rei, passou a frequentar Paquetá, a Ilha dos Amores, como ele a chamava.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ponte da Saudade

 

Onde, de acordo com a lenda escrava, João Saudade, da nação Benguella, rezava diariamente para reencontrar sua família que ficara na África.

 

 

 

 

 

 

 

Casa da Moreninha/Chalé rosa

 

É uma bela e bem preservada residência que foi utilizada como cenário da novela “A Moreninha”, baseada na obra literária de mesmo nome e exibida pela Rede Globo na década de 70. Hoje é propriedade particular.

 

 

 

 

 

 

 

 

COMO CHEGAR

Entrada do terminal de barcas de Paquetá

O acesso à ilha é feito exclusivamente por meio de barcas que partem de um terminal aquaviário localizado na Praça XV, no Centro do Rio de Janeiro, próximo ao Aeroporto Santos Dumont, onde há bilheterias para venda de passagens e é possível também fazer o pagamento da tarifa com o cartão Bilhete Único do sistema de transporte público do RJ. Para informações sobre tarifas e horários, acesse o site da concessionária responsável pelo serviço.

 

 

 

 

 

 

 

 

 –

Para outras informações sobre a Ilha de Paquetá, como opções de hospedagem, alimentação, etc, acesse o link.


sm-johnny