AIR FRANCE 276 – Por dentro do gigante


Bem vindos. O relato de hoje é especial. Para marcar o retorno do blog e seu novo layout, vamos trazer a partir de agora, o primeiro Flight Report registrado no maior avião comercial do mundo: O Airbus A380. Nosso parceiro colaborador Nathan Shineider embarcou nesse gigante dos céus para uma longa viagem entre Paris e Tóquio e vai nos contar essa experiência em detalhes. Confira:


Aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, 13 de outubro. Esse seria o ponto inicial de um desejo antigo. Voar na maior aeronave de passageiros já concebida: O superjumbo Airbus A380. E a oportunidade veio em uma premiação da empresa onde trabalho, que me convidou para ir ao Japão dar suporte e treinamento a uma equipe técnica que já se encontrava lá. A empresa onde trabalho (que é francesa) tem um acordo com a Air France para a viagem dos funcionários e quando recebi os vouchers, fiquei contente ao ver que um dos trechos seria operado pelo A380.

Pois bem. Cheguei ao aeroporto com uma boa antecedência. Meu voo de conexão desde Hamburgo havia pousado no Aeroporto de Orly e para chegar ao Charles de Gaulle utilizei o eficiente sistema ferroviário francês, que deixa os passageiros dentro do terminal. O terminal estava com uma movimentação bastante intensa. A fila no balcão da Air France estava quilométrica. Haviam três voos internacionais saindo praticamente no mesmo horário. Todos eles operados com Airbus A380, o que tornou a situação ainda mais complicada. Usar o sistema “Sky Priority” praticamente não estava fazendo diferença em termos de rapidez. Levei quase 20 minutos para concluir todo o processo de check-in. Na imigração, a situação também estava caótica, mas ao menos, o processo lá foi mais ágil. A equipe no checagem de segurança foi cortês, diferentemente das outras duas vezes que passei pelo Charles de Gaulle. Parecem ter melhorado significativamente neste aspecto nos últimos cinco anos.

Então fomos direcionados para a mais nova extensão do terminal 2E do CDG , conhecida simplesmente por portões M, quando eu descobri nas telas que nós iríamos embarcar no Portão M44. Ao me dirigir para próximo dele foi então que tive a primeira visão do imenso pássaro de aluminio que nos conduziria rumo à Tóquio. Lá estava ele, o nosso A380 sendo preparado com muito carinho. Fiquei por aproximadamente 15 minutos em frente ao vidro do terminal,  olhando fixamente para aquela máquina maravilhosa, admirando todos os detalhes de sua beleza e imponência. Sua fuselagem é tão grande que as asas parecem ligeiramente subdimensionadas, em comparação com outras aeronaves. Suas 04 imensas turbinas Rolls Royce precisam ser extremamente potentes para elevar esse monstro aos céus. Enfim, parecia uma criança fascinada ao olhar para um brinquedo. O avião impressiona até os mais escaldados viajantes aéreos como eu. Posteriormente após o embarque, o comandante, em seu speech  de boas vindas aos passageiros, anunciou aquela aeronave como a mais recente aquisição da frota da Air France.
Estação de trem do Aeroporto Charles de Gaule

Fila quilométrica no check-in da Air France no CDG

O A380 estacionado no portão M44

 

Eram exatamente 12:45hs quando fomos chamados para embarcar no gigante. Havia uma longa fila, mas uma fila ordenada para embarcar no avião. Como utilizei o sistema “Sky Priority”, fui um dos primeiros a embarcar. Sobre os assentos já estavam colocados kits individuais contendo almofada, fone de ouvido e máscara tapa-olhos.
Eu tinha escolhido cuidadosamente meu assento ao fazer o check-in pela internet. Eu queria um assento na janela, em uma fileira o mais longe da asa possível. Isso porque amigos meus que já voaram nos A380 da Lufthansa disseram que a asa desse avião é tão grande que bloqueia todas as vistas do andar inferior e, como todos os assentos do andar superior já haviam sido reservados, tinha que conseguir um bom lugar para curtir esse momento único. Optei então pelo assento 85A, que oferecia uma visão desempedida do exterior, já que ficava bem na parte traseira do avião, e de fato foi uma boa colocação para fazer esse registro.
 
Os A380 da Air France estão configurados para 516 passageiros, sendo 09 na Le Premiere, 80 na classe Business, 38 na Premium Economy e 389 na Economy. Uma vantagem significativa do A380 é que a curvatura da fuselagem fornece espaço extra para os assentos de janela na classe econômica também. O assento tem a famosa padronagem em tecido azul marinho da Air France. A reclinação e o pitch são bons, mesmo para a classe econômica.
 –
De perto tem-se a noção da imensidão dos motores do superjumbo

O pitch é muito bom

Dia de casa cheia no AF 276

Pontualmente. as 13:28hs, iniciou-se o pushback. Foi exibido o video com as demonstrações de segurança nas telas individuais de 10″ do sistema de entretenimento. Após um lento taxiamento que levou quase 20 minutos, era chegada a hora de deixar a terra firme nas asas do maior avião comercial do planeta. Os pilotos encheram os 04 motores de empuxo e o superjumbo completamente lotado começou a correr por uma das pistas do Charles de Gaulle. Foi possível ver a decolagem simultânea à nossa, de um A320 da Air France, que havia decolado de outra pista.
O A380 subia vigorosamente aos céus de Paris, ganhando altitude rapidamente. Depois de alguns poucos minutos já estávamos acima nas camadas esparsas de nuvens. Depois de aproximadamente 25 minutos de voo, os comissários iniciaram o serviço de bordo. O detalhe é que neste voo, alguns membros da tripulação falam nada menos que OITO idiomas: Francês, inglês, japonês, hebraico, russo, sueco, alemão e italiano. Foi servido uma entrada de snacks e bebidas. Após duas horas foi servido o almoço. Como de costume nos voos da Air France, o menu é muito melhor do que a comida. A escolha Japonesa/Europeia é limitado para o prato quente, e não importa a sua escolha, é frango de qualquer maneira. A diferença é que o prato japonês permaneceu muuuuito tempo no forno, resultando em um frango cozido demais, feijões queimados e arroz seco. A sopa de missô servida em um copo de papel deve ter feito todos os passageiros japoneses estremecer. Rsrsrs. A moça que estava viajando ao meu lado escolheu estilo europeu, frango (sob uma espessa camada de molho), que foi corretamente preparados, que arrependimento!!!!!! Depois foram servidos alguns pães, que estavam mais para bolachas, devidos os seus 03 cm de tamanho. Um dos menores pães que já vi. 
Que almoço!!!! se corretamente preparados, teria sido ok. O café, se não tivesse sido queimado, também teria sido ok. Em suma, o menu japonês era aceitável, mas eles destruíram o que eles aqueciam.
Câmera instalada na cauda do A380 permite aos passageiros uma visão privilegiada da decolagem

Au revoir, Paris!!!!

Um A320 da Air France em decolagem simultânea à nossa

Sistema de iluminação inovador do A380

 –
Depois do almoço um pouco indigesto, fui ao banheiro e aproveitei para andar e conhecer as inovações da aeronave. Os banheiros são bastante espaçosos, inclusive com uma espécie de fraldário para as mães que estão viajando com bebês poderem troca-los em caso necessidade. O A380 também conta com um bar na parte traseira onde os passageiros que quiserem podem apanhar bebidas. Após voltar ao meu assento, resolvi experimentar o sistema de entretenimento do A380. Simplesmente excelente com inúmeras opções de filmes, series, canais musicais e jogos.
Já haviam decorrido mais de 7 horas de voo, quando a noite caiu. Eu e muitos passageiros resolvemos pegar no sono e descansar para a chegada à capital japonesa.
Logo que o dia raiou, foi servido o café da manhã, com o mesmo café ruim por causa de superaquecimento. Esse voo definivamente não foi o voo das refeições saboreáveis. Pouco tempo depois iniciamos a descida para Tóquio. A cidade estava com uma manhã meio nublada, mas o tempo foi abrindo na medida que desciamos.
Bebidas ficam disponíveis aos passageiros na parte de trás do avião
Uma das escadas de acesso ao andar superior

 –
Como em todos os voos da Air France, o menu é bem melhor que a refeição em sí
O dia começa a raiar na terra do sol nascente

日本へようこそ (Nihon e yōkoso)

A identificação não engana. Realmente chegamos à Tóquio

No solo em Narita. Quase 12 horas de portão a portão

Acesso à imigração

Acesso à restituição de bagagens e desembarque
Pousamos no Aeroporto Internacional de Narita as 08:03hs (horário local), após uma jornada de quase 12hs. Taxiamos e estacionamos no portão, que estava tão esgotado que não reparei o número. O desembarque foi realizado de maneira bastante organizada, mesmo em um avião tão grande. Passei pela imigração, retirei as bagagens e rumei para a saída, onde já tinha um carro me esperando para me levar para o hotel. Agora era só tomar um belo banho e descansar da jornada longa e cansativa, mas que valeu muito a pena.
Avaliação:

As notas vão de 0 a 10.

Reserva: Nota 10

Feita no site da Air France, que é muito intuitivo e funcional.

Check-in: Nota 8

Feito pela internet, porém a fila para despachar as malas e apanhar o cartão de embarque estava quilométrica, tornando o atendimento bastante demorado, mesmo para os usuários “Sky Priority” .

Embarque: Nota 10

Rápido e organizado, apesar da grande quantidade de pessoas.

Assento: Nota 8

 De tecido azul marinho, padrão Air France, com reclinação e pitch muito bons, até mesmo na classe Economy.

Serviço de bordo: Nota 5,5

Um show de horrores. Sem comentários!!!

Comissários: Nota 10

Simpáticos e atenciosos durante o tempo todo.

Sistema de entretenimento: Nota 10

Com inúmeras opções de filmes, músicas e jogos. Acho a Air France uma das referências nesse quesito, sem dúvida nenhuma.

Desembarque: Nota 10

Rápido e organizado como o embarque em Paris.

Pontualidade: Nota 10

Saída e chegada conforme programado

Cuidados com as bagagens: Nota 10

 Entregues em perfeita ordem.

Nota final: 9,15

 

Comentário final:

Apesar de alguns mínimos percalços, valeu a pena. O A380 é um avião fabuloso. A Air France uma linha aérea sensacional, apesar de ter o que melhorar, como todas tem um algo a melhorar. Mas o saldo final da viagem foi extremamente positivo.

NATHAN SHINEIDER


sm-johnny 

Um comentário em “AIR FRANCE 276 – Por dentro do gigante

Os comentários estão desativados.